Introdução a Mitologia Coreana - Parte 3

Atualizado: 5 de jul. de 2021

Os Mitos do Submundo: Ainda os Mesmos, Mas em Diferentes Espaços, Este Mundo e o Submundo


Onde você estará depois da morte? De acordo com o Chasabonpuri (Mito de Origem do Mensageiro do Submundo), que foi contado de geração em geração na Ilha Jeju, é o submundo. Existe um provérbio: Por pior que seja, é melhor viver do que morrer. mas estamos condenados a morrer eventualmente e o submundo é o lugar para onde iremos.


Ritual xamânico na Ilha de Jeju. Diz-se que são os mesmos que os trigêmeos executaram para ressuscitar Noga-danpung-agassi no Chogong bon-puri.
Ritual xamânico na Ilha de Jeju. Diz-se que são os mesmos que os trigêmeos executaram para ressuscitar Noga-danpung-agassi no Chogong bon-puri.

Chasabonpuri é a história de Kangim, que é um mensageiro da morte vindo do submundo. Ele é a pessoa que guia as almas dos mortos para o mundo subterrâneo. Ele, no entanto, era originalmente um oficial servindo o magistrado Kim Chi. Kwayangsaengi e sua esposa mataram os três filhos do Rei do Reino de Tonggyong para roubar seu dinheiro. Os três filhos nasceram de novo como filhos de Kwayangsaengi e foram aprovados no vestibular para se tornarem oficiais do governo. mas eles morreram repentinamente enquanto cumprimentavam seus pais. Kwayangsaengi apresentou uma petição sobre esta morte suspeita. Kim Chi pediu a Kangim para resolver o problema e Kangim ameaçou o Rei do Submundo para resolver o problema. Nesse ínterim, foi revelado que Kwayangsaengi matou os três filhos do rei do Reino de Tonggyong. Como resultado, Kwayangsaengi foi punido e Kangim foi convidado pelo Rei do Submundo para servir como o mensageiro da morte do submundo.



Uma das coisas mais importantes que precisamos observar nesse mito é que o submundo controla a morte de pessoas. Em outras palavras, as pessoas irão para o mundo subterrâneo depois de morrerem. Além disso, até mesmo o Rei do Submundo pode ser gerenciado por um oficial neste mundo. É bem diferente da imagem comumente aceita de um rei que tem autoridade para presidir o submundo. Neste mundo, muitas vezes resolvemos problemas por meio de ameaças. Aparentemente, o submundo não é muito diferente deste mundo.

Esse ponto também fica claro quando Kangim vai ao submundo para perseguir o Rei do Submundo. É essencialmente o mesmo que uma pessoa morta indo para o submundo. Kangim perguntou a Kilnajang, um mensageiro do submundo, o caminho para o submundo e ofereceu a Kilnajang um bolo como recompensa. Isso mostra que você pode atingir seu objetivo sendo gentil com os outros. Em Samanibonp'uri (Mito de Origem de Samani), Changjapuri (Mito de Origem de Changja) e Whangchonhonsi (Um Deus da Caveira), as pessoas que enfrentam a morte conseguem evitá-la subornando os mensageiros da morte. São os mensageiros da morte deste mundo ou do submundo?



O submundo é diferente deste mundo. Há uma fronteira entre este mundo e o submundo, indicando que eles são realmente espaços separados. Qual é a fronteira entre eles? É a lagoa Haenggi. Kangim o usa como entrada e saída para viajar de e para o submundo. A lagoa Haenggi representa mais claramente nossa visão do mundo subterrâneo. O Lago Haenggi não é uma mera passagem. Se você cair nesta lagoa (esta é considerada a forma vertical), você estará no seu caminho para a estrada de entrada do submundo (esta é considerada a forma horizontal). Isso efetivamente revela nossa visão do submundo, que pode ser vertical e horizontal ao mesmo tempo.


- Continue acompanhando a série Introdução a Mitologia Coreana:


Parte 1

Parte 2

Parte 4

Parte 5

Parte 6

Parte 7


- Apóie o blog clicando nos anúncios exibidos nesta página, não custa nada para você mas ajuda muito o blog a continuar trazendo conteúdos relevantes para os apaixonados por História, Cultura e Mitologia Coreana. Conto com seu apoio!

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo