top of page

[Resenha] Conheça a história de Taejong Yi Bang-won, o terceiro rei da Dinastia Joseon em "O Rei das Lágrimas"



Para reviver os dramas históricos característicos da KBS, a emissora decidiu contar a história de Taejong, Yi Bang-won (1367-1422), o terceiro rei da Dinastia Joseon (1392–1910).  


O Rei das Lágrimas
A primeira série dramática histórica da KBS em cinco anos, intitulada "O Rei das Lágrimas, Yi Bang-won", apresenta os atores Joo Sang-wook como Taejong Yi Bang-won, à direita, e Kim Yeong-cheol, como Rei Taejo Yi Seong-gye. [KBS]

O Rei das Lágrimas - Yi Bang-won” é a primeira grande série dramática histórica da KBS desde “Jang Young-sil: O Maior Cientista de Joseon”, que foi ao ar em 2016.


O primeiro episódio da história de Taejong, Yi Bang-won, foi ao ar em 11 de dezembro de 2021 e obteve uma audiência de 8,7 por cento, segundo a Nielsen Korea. Esse número atingiu 10 por cento no oitavo episódio. Isto é considerado um enorme sucesso, não apenas para uma série dramática histórica, mas também considerando a mudança de hábitos de visualização entre os coreanos. Cada vez mais pessoas assistem a programas de TV em serviços OTT como a Netflix.  



Os críticos dizem que este drama histórico bastante sério é atraente para os espectadores, que estão fartos de dramas de época na Coreia, fortemente ficcionalizados e obcecados por relacionamentos românticos. O recentemente concluído drama de época da KBSThe King's Affection” foi ambientado na Dinastia Joseon, mas apresentava personagens inteiramente fictícios. “Secret Royal Inspector & Joy”, que terminou em 28 de dezembro na tvN, e “Moonshine” da KBS, se passam na era Joseon, mas não apresentam figuras históricas reais. “The Red Sleeve” da MBC, focou em uma figura real — o rei Jeongjo (1752–1800) — mas romantizou altamente seu relacionamento com sua concubina.


O Rei das Lágrimas — Lee Bang-won” terá apenas 32 episódios. Os dramas históricos anteriores tiveram de 50 a 100 episódios.


“É relativamente mais curto do que outros grandes dramas históricos, mas acredito que seja suficientemente longo, considerando a tendência recente”,

disse Im Yong-han, chefe do Instituto de Pesquisa Histórica da Coreia. “Acho que a história pode ficar mais compacta. Ainda é o dobro do número de episódios de K-dramas históricos recentes, com 16 episódios.”  



Por que a KBS escolheu Taejong, Yi Bang-won, para seu primeiro grande drama histórico em cinco anos?


Na verdade, houve 14 séries dramáticas históricas com Taejong, sete apenas da KBS


“Taejong era um personagem tão dinâmico que pode ser interpretado de várias maneiras”,

disse Im.

“Ele próprio viveu uma vida tão dramática que sua história atrai escritores e produtores de drama.”  

Yi Bang-won foi o quinto filho do rei Taejo, Yi Seong-gye (1335–1408), o fundador e primeiro rei de Joseon que derrubou a Dinastia Goryeo (913–1392). Ele foi postumamente chamado de Taejong. Ele tinha oito irmãos, seis de sua mãe, a rainha Sinui, e dois da rainha Sindeok. Ele era invejado por seus irmãos por ser o mais inteligente. Taejong passou no exame estadual notoriamente difícil em 1382 e ainda é o único rei Joseon que passou no exame.


Ao ajudar seu pai a derrubar Goryeo em 1392, Yi Bang-won esperava ser nomeado príncipe herdeiro. No entanto, seu pai e seu primeiro-ministro Jeong Do-jeon fizeram do filho mais novo de Taejo, Yi Bang-seok, o príncipe herdeiro. A mãe de Bang-seok, a rainha Sindeok, pode ter contribuído para tornar seu filho príncipe herdeiro. Afirma o Taejo Sillok, ou nos anais que descrevem a época do Rei Taejo, que o rei pôde ouvi-la “chorar lá fora depois de ouvir” um ministro dizer que o príncipe herdeiro deveria ser aquele que muito contribuiu. Também está registrado que Taejo hesitou em nomear Yi Bang-won como seu príncipe herdeiro devido a sua predisposição violenta.


Essa família complexa e o relacionamento com seus irmãos poderiam ter tornado Taejong mais rebelde.  



Jeong Do-jeon e Taejong estavam em conflito profundo: Jeong via Joseon como um reino liderado por seus ministros através da nomeação do rei, enquanto Taejong buscava o governo direto por meio de uma monarquia absoluta.


Em 1398, após saber que Jeong estava tentando matá-lo, Taejong liderou um golpe de estado e matou Jeong e seus seguidores, bem como seus dois meio-irmãos.  


Chocado com a disputa letal de seus filhos pelo poder, o rei Taejo abdicou e coroou seu segundo filho, Bang-gwa, pois o primeiro filho já estava morto. Bang-gwa tornou-se o segundo rei de Joseon em 1398 e é postumamente chamado de Rei Jeongjong. Mas foi Yi Bang-won quem manteve o poder real.  


Enquanto isso, seu irmão Yi Bang-gan também ansiava pelo poder, resultando em conflitos entre os príncipes em 1400. Yi Bang-won derrotou as forças de seu irmão e enviou Bang-gan para o exílio. O rei Jeongjong tinha tanto medo de seu irmão poderoso que nomeou Yi Bang-won príncipe herdeiro e abdicou no mesmo ano. Yi Bang-won tornou-se o terceiro rei de Joseon e governou o país durante 18 anos.  


O Rei das Lágrimas
Uma cena de "O Rei das Lágrimas, Yi Bang-won" apresentando Joo como Yi Bang-won. [KBS]

Durante seu reinado, Taejong fez inúmeras mudanças para solidificar Joseon.  


Assim que se tornou rei, aboliu os exércitos privados mantidos por altos funcionários e pela aristocracia para evitar possíveis revoltas. Ele revisou os impostos sobre a terra e designou funcionários para diferentes condados, o que levou à descoberta de terras não registradas e ao aumento da renda nacional. Ele instituiu o sistema de hopae, uma forma antiga de identificação que registrava nomes e residências de pessoas — algo parecido com o atual ID de registro. Criou um governo central forte e uma monarquia absoluta. Também é conhecido por ordenar a criação de 100.000 peças de tipos móveis de metal e duas fontes completas em 1403.  


Mas os assassinatos para erradicar quaisquer ameaças a ele e ao seu filho, o rei Sejong, continuaram até os anos finais de seu reinado. Em 1418, temendo a crescente influência da família da rainha Soheon — ela era então casada com o príncipe herdeiro Chungnyeong, que mais tarde se tornou o rei SejongTaejong matou o pai da rainha Soheon e dois de seus tios e rebaixou o resto da família e parentes a escravos.  



De acordo com Taejong Sillok, Yi Bang-won se parecia com seu pai, que tinha um “nariz proeminente”. Os retratos existentes de Yi Bang-won foram pintados a partir da imaginação: todas as pinturas reais dele foram destruídas durante duas séries de guerras. Também é descrito no Sillok que o Rei Taejo derramou lágrimas, abraçando seu filho Taejong antes de enviá-lo à Dinastia Ming na China como enviado.  


O Taejong Sillok afirma que o Rei Taejo disse:

“Como você pode, com um físico tão pálido e fraco, percorrer todo o caminho até o Grande Ming?”

A Dinastia Ming governou a China de 1368 a 1644.  


Alguns historiadores imaginam que Taejong seja “menor fisicamente, longe de parecer áspero e selvagem”, de acordo com Im, do Instituto de Pesquisa de História da Coreia, semelhante ao Taejong retratado em “Seis Dragões Voadores”. (2015), onde o ator Yoo Ah-in o interpretou, ou Taejo do ator Joo Sang-wook em “O Rei das Lágrimas, Yi Bang-won”.


O Rei das Lágrimas
O ator Yoo Ah-in interpretou Taejong Yi Bang-won em “Seis Dragões Voadores” (2015). [TVN]

Outros especialistas, como Choi Tae-sung, um popular professor de história da EBS, dizem que o Rei Taejo se referiu ao seu filho Taejong como tendo um “físico pálido e fraco” porque estava preocupado com a longa jornada que estava embarcando, não porque literalmente estava “pálido e fraco”.


“Na realidade, considerando a conquista feita por Taejong, ele seria semelhante em aparência ao ator Yoo Dong-geun, que interpretou Taejong em “As Lágrimas do Dragão”, acrescentou Choi, e que Taejong teria sido um homem de aparência forte. Um homem com carisma considerando suas conquistas e todos os seus assassinatos. Yoo retratou Taejong como um rei robusto, impiedoso quando necessário.  


O ator Jang Hyuk interpretou Taejong em “Meu País: A Nova Era” (2019) da JTBC como um homem cheio de ambições de se tornar o próximo rei.  


O Rei das Lágrimas
O ator Jang Hyuk interpretou Taejong Yi Bang-won em "Meu País: A Nova Era" da JTBC (2019). [JTBC]

Quanto ao Taejong de Joo em “O Rei das Lágrimas, Yi Bang-won”, ele descreveu o personagem como um “rei simpático que não se preocupa apenas com assassinatos e ambições”.  


“A série dramática enfatiza seu lado humano”, disse Joo, durante uma coletiva de imprensa de “O Reia das Lágrimas, Yi Bang-won” no final do ano passado.

“Suas ações de assumir o trono ao destituir seu pai são moralmente repreensíveis, mas há lados dele com os quais podemos simpatizar.”  

Yi Bang-won realmente tinha todos esses lados”, disse Ban Byung-yool, professor emérito de história na Universidade de Estudos Estrangeiros de Hankuk.

“Ele era um governante ambicioso, corajoso e inteligente que, ao mesmo tempo, tinha um lado suave. É por isso que muitas séries dramáticas o associam à palavra ‘lágrimas’. Dizem que ele chorou muito por causa dos filhos.”

Existe até uma convenção meteorológica conhecida como Chuva do Rei Taejong, referindo-se à chuva que cai no décimo dia do quinto mês lunar, quando o Rei Taejong morreu. Diz-se que enquanto o rei Taejong estava em seu leito de morte, ele continuou a mostrar preocupação com seu povo, pois sofriam com uma grave seca. Ele esperava que sua morte trouxesse muita chuva para seu povo e realizou seu desejo: choveu no dia em que morreu.


  • Assista “O Rei das Lágrimas, Yi Bang-won” gratuitamente em nosso fórum clicando AQUI.

 



Bình luận

Đã xếp hạng 0/5 sao.
Chưa có xếp hạng

Thêm điểm xếp hạng
bottom of page