Mitologia Coreana: O Homem e a Mulher que se tornaram o Sol e a Lua

Atualizado: 19 de set.


O Deus Sol e a Deusa Lua (das pinturas murais de Ohoebun Quinta Tumba de Koguryo). Quarto ao quinto século.

Eu apaixonada por História, Mitologia e Cultura Coreana, quero hoje falar um pouco desse mito fascinante e muito engraçado, que eu ri muito lendo, pois achei a história hilária. Leiam e vejam vocês mesmos, depois por favor deixem sua opinião logo abaixo, combinado?


O homem e a mulher que se tornaram os deuses do Sol e da Lua


O nome verdadeiro de Lady Myongwol era Haedanggum. No primeiro ano em que se conheceram, o Erudito Kungsan trouxe à tona a questão do casamento com Lady Myongwol. No segundo ano, ele recebeu uma carta de aceitação. Depois, no terceiro ano, eles se casaram. Quando ele foi à casa dos pais dela para o casamento, descobriu que nada tinha para embrulhar a carta de matrimônio. Então ele juntou os pedaços de seda pendurados em Kuksadang para embrulhar. Ele descobriu que não tinha uma caixa de seda de presente para a noiva. Olhando por baixo da varanda, encontrou um velho tamanco de madeira e usou-o como caixa para a seda. Ele descobriu que não tinha cavalo para carregar a carta de matrimônio, então ele a carregou em um galo. E ele se casou com Lady Myongwol.



O Erudito Kungsan ficou na casa de sua esposa por alguns dias, depois voltou para casa com sua esposa e celebrou a primeira vinda de sua esposa para sua casa.2 Depois disso, como sua noiva era muito bonita, o Erudito Kungsan não suportava a ideia de deixá-la e por isso não trabalhava para viver. Um dia, a Noiva Myongwol disse ao marido: "Vá buscar lenha hoje." Mas o Erudito Kungsan disse: "Não posso ir buscar lenha". "Por que você não pode ir?" perguntou Noiva Myongwol.

"Não posso ir e deixá-la para trás", respondeu o Erudito Kungsan.

"Vou pintar um quadro meu para você", disse a Noiva Myongwol.

E quando a Noiva Myongwol pintou o quadro, o Erudito Kungsan o levou consigo quando foi coletar lenha. E enquanto ele juntava a lenha, ele o pendurou em um galho para poder cortar um pouco de lenha. Mas quando ele olhou para a foto, um vento violento levantou-se e a foto voou para longe, pousando rio abaixo na casa do Erudito Pae.

Quando o Erudito Pae viu a foto, exclamou: "Como ela é linda, Noiva Myongwol do rio acima!"

O Erudito Pae encheu um barco com minério de ouro e foi jogar xadrez com o Erudito Kungsan. "Não posso jogar porque não tenho nada para colocar em jogo", disse o Erudito Kungsan. "Se eu perder, vou te dar um carregamento de minério de ouro. Se você perder, vai me dar sua esposa", disse o Erudito Pae.



O Erudito Kungsan concordou, mas quando eles jogaram, ele perdeu três jogos três vezes. Não havia nada a ser feito a respeito, ele teve que doar sua esposa. Ele foi para casa, estendeu a cama e não se levantou nem comeu.

"Por que você não come sua comida?" perguntou Noiva Myongwol.

"Eu joguei xadrez com o Erudito Pae do rio abaixo. Ele veio com um carregamento de minério de ouro, e se o Erudito Pae perdesse ele disse que me daria o carregamento de minério de ouro, e se eu perdesse eu disse que lhe daria minha esposa. E Eu perdi. É porque vou perder você que estou assim ", disse o Erudito Kungsan.

"Ótimo! Maravilhoso! Muito bom! Vai ser melhor morar com alguém que tem muito, do que o Erudito Kungsan, que não tem nada", disse Noiva Myongwol. O Erudito Kungsan chorou ainda mais alto.

"Olha aqui, meu marido, escuta o que eu digo! Quando o Erudito Pae vier me levar embora, vestiremos a serva mais velha de nossa casa com todas as minhas roupas elegantes e você, meu marido, vai brincar com ela. Eu, caminharei mancando, escondendo os olhos, com uma saia velha, e vou tirar água. Aí o enganamos e ele levará a serva junto. Agora coma a sua comida!" disse Noiva Myongwol.



Assim que o Erudito Kungsan ouviu isso, ele gritou: "Ótimo! Maravilhoso! Muito bom! Oh, minha querida esposa, de onde vem essa ideia? Vem do seu coração? Vem dos seus rins?

Ótimo! Maravilhoso! Muito bom!"

Então o Erudito Pae, do rio abaixo, veio levar a Noiva Myongwol.

Quando ele exigiu que ela fosse dada a ele, o Erudito Kungsan apontou para a garota com quem ele estava brincando e disse: "Aqui, leve-a com você!"

Então o Erudito Pae olhou para ela e disse: "Não, eu não posso fazer isso. Se eu levar sua esposa com quem você deve envelhecer e viver cem anos, você ficará ressentido comigo. Portanto, você deve me dar a criada que vai tirar água, lá embaixo no quintal.” Não havia nada a ser feito; O Erudito Pae foi e levou a noiva Myongwol com ele.

Mas Noiva Myongwol disse: "Dê-me apenas cinco dias, então irei com você."

"Faça o que quiser", disse o Erudito Pae.

Quando ele partiu, durante esses cinco dias, a Noiva Myongwol matou uma vaca, cortou tiras finas de carne e as secou, e as usou para forrar as calças e a jaqueta do Erudito Kungsan.

Em sua gola, ela colocou um carretel de linha de seda e um pacote de agulhas.

Então o Erudito Pae veio buscá-la. Ele disse a ela: "Agora nós dois vamos morar juntos. Vamos levar o Erudito Kungsan conosco e deixá-lo em uma ilha."

"Vamos fazer isso então", respondeu a Noiva Myongwol.



Então eles levaram o Erudito Kungsan junto e o deixaram em uma ilha. Como não tinha nada para comer, rasgou as roupas e encontrou o charque. Depois de comer a carne seca, ele novamente não teve nada para comer e então com o fio de seda e as agulhas ele fez uma linha de pesca e anzóis e se manteve vivo pescando.

O Erudito Kungsan estava se mantendo vivo quando uma garça do céu pousou e pôs seus ovos. Depois que os ovos eclodiram, a mãe garça foi presa por ter cometido uma ofensa contra o Rei do Céu3 e os bebês garças foram deixados para morrer de fome. Mas o Erudito Kungsan pescava peixes e alimentava os bebês garças. A mãe garça, inocentada das acusações, voltou e descobriu que o Erudito Kungsan salvou seus filhotes. Como sua gratidão era ilimitada, ela o carregou nas costas para a terra.

Em seu retorno, sem nada em seu nome, o Erudito Kungsan tornou-se um mendigo errante.

Na casa do Erudito Pae, a Noiva Myongwol não falava nem ria.

"Ora, minha esposa, você não fala?" disse o Erudito Pae.

"Por favor, cumpra o meu mais caro desejo", respondeu a Noiva Myongwol.

"O que você deseja?" perguntou o Erudito Pae.

"Se você preparar um banquete para os mendigos de três dias, eu falarei", respondeu a Noiva Myongwol.

"Teremos um banquete para os mendigos de três dias", disse o Erudito Pae.

O Erudito Kungsan, que se tornara um mendigo, e veio ao banquete.

No primeiro dia, ele sentou-se na extremidade oposta, enquanto a comida era servida na extremidade próxima. Como faltava uma mesa para servir, o Erudito Kungsan não tinha nada para comer. No dia seguinte, ele se sentou na extremidade próxima, enquanto a comida era servida na extremidade oposta, e novamente eles ficaram sem uma mesa e ele não teve nada para comer. No dia seguinte, ele se sentou no meio enquanto a comida era servida na esquerda e na direita, e novamente faltou uma porção e ele não teve nada para comer.

"Este meu destino miserável, que tipo de destino é este? No primeiro ano eu perco minha esposa, no segundo ano eu me torno um mendigo e no terceiro ano eu não ganho nada para comer nem mesmo no banquete de mendigos!" suspirou o Erudito Kungsan.



Quando Noiva Myongwol olhou para o banquete de três dias, ela viu aquele

o mendigo não tinha nada para comer. Então ela preparou uma mesa especial e disse: "Dê isto ao mendigo que não teve nada para comer no banquete de três dias!" O Erudito Kungsan recebeu uma mesa especial e, depois de se fartar, colocou o que sobrou em um saco de palha. Ele colocou a bolsa nas costas e começou a sair.

Nesse ponto, a noiva Myongwol disse: "Vou jogar essa jaqueta de pérolas (kusulot) para baixo, se alguém puder puxar a gola para cima, colocar a gola direito e usá-la, ele será meu marido, mesmo que seja um mendigo."

Todos os mendigos tentaram colocá-la, mas não conseguiram. O Erudito Kungsan ajeitou a gola do lado direito, puxou a gola para cima e vestiu. Ele então voou para o céu entre as nuvens brancas e desceu novamente.

"Eu também vou experimentar", disse o Erudito Pae.

Ele havia aprendido o truque de colocar o casaco de pérolas, mas não o truque de tirá-lo. Ele flutuou no céu entre as nuvens brancas, mas como não conseguiu tirar o casaco de pérolas, não conseguiu descer e morreu ali entre as nuvens, virando uma pipa de orelhas pretas.

O Erudito Kungsan e a noiva Myongwol viveram juntos novamente e, quando morreram, seus espíritos se tornaram os deuses do Sol e da Lua.4



Notas:

1 - Kuksadang: Este santuário era chamado de Mokmyoksinsa (Santuário Mokmyok) na dinastia Joseon e ficava no topo do Monte Mokmyok (o atual Monte Namsan). Depois que o primeiro rei da dinastia Joseon escolheu Hanyang como a capital do país, ele ordenou que o Santuário Mokmyok fosse construído para proteger Hanyang com o Santuário Pukak. Agora está em Inwangsan, Sodaemun-gu Hyonjo-dong, Seul.

2 - Era chamado de ugwi ou sinhaeng quando a noiva vinha pela primeira vez à casa do marido. Os pais da noiva enviavam vários tipos de bolo de arroz, carne, bebidas alcoólicas etc. para a casa do genro.

3 - O Rei do Céu: neste mito, refere-se ao nome do deus celestial, Okhwangsangje, no Taoísmo.

4 - Este mito foi traduzido consultando uma tradução existente; Seo Dae Seok. Myths of Korea (Somerset: Jimoondang International, 2000). No decorrer do meu trabalho, corrigi alguns erros e omissões que foram encontrados na tradução existente.


O Título Original: Illwolnorip’unyom (Canção da Oração ao Sol e à Lua)

A fonte: Son Chint’ae, Choson Mugyokui Singa, 4 (Shamanist Songs of Korean, 4), Ch’ongguhakch’ong, vol. 28, 1937.




Extraído do livro: "Um Guia Ilustrado da Mitologia Coreana" de Won Oh Choi - Somente com versão em inglês.
















0 comentário

Posts recentes

Ver tudo