top of page

[História com K-drama] "12.12: The Day" retrata um dia crucial na história coreana, mas quanto é real?

Atualizado: 2 de mai.



O filme histórico da Coreia “12.12: The Day” tem quebrado recordes e ajudado a animar cinemas que estavam estagnados, tanto na Coreia como no exterior.


12:12 The Day
Uma cena do filme "12.12: O Dia" mostra o líder militar Chun Doo-kwang, no centro, interpretado pelo ator Hwang Jung-min, conversando com os membros da hanahoe, uma sociedade privada não oficial de oficiais militares. [MAIS M ENTRETENIMENTO]

Foi o maior filme coreano na América do Norte no ano passado, ultrapassando US$ 1 milhão em receita apenas um mês após sua estreia em 23 de novembro. A estreia coreana foi apenas um dia antes e foi o filme mais assistido na Coreia também no ano passado. Até agora, ultrapassou mais de 12,57 milhões de ingressos vendidos no mercado interno até janeiro, conforme os dados de ingressos do Conselho de Cinema Coreano.


Houve numerosos filmes históricos que contam a história do notório ditador militar da Coreia, Chun Doo Hwan, que assumiu o comando do país por meio de um golpe de estado em 1980 e governou durante oito anos. Mas o que torna “12.12: The Day” em particular uma sensação tão grande?



Mostra o dia histórico de 12 de dezembro de 1979, quando um golpe de estado militar estava prestes a estourar em Seul, liderado por Chun e sua sociedade privada não oficial de oficiais militares chamada hanahoe. Os oficiais militares são em sua maioria graduados da 11ª turma da Academia Militar da Coreia desde 1955.


Esta comunidade militar levou ao golpe de estado de 17 de maio do ano seguinte e ao trágico Movimento de Democratização de Gwangju em 18 de maio. Como os detalhes do que aconteceu naquele dia são relativamente menos conhecidos do que os dos dois últimos eventos, jovens e velhos coreanos invadiram os teatros, apenas para sair enfurecidos com o passado da Coreia.


Mas antes de culpar aos políticos e líderes militares impotentes que se aliaram a Chun durante o seu plano de golpe, tal como retratado no filme, é importante distinguir o fato da ficção, já que o realizador Kim Sung-su de fato dramatizou alguns dos personagens e acontecimentos, embora o filme permaneça em grande parte fiel à história real.


12:12 The Day
Tanques do general Roh Tae-woo em Gwanghwamun, centro de Seul, em 12 de dezembro de 1979

A maioria dos personagens que aparecem no filme são modelados a partir de figuras da realidade. O diretor disse que deu intencionalmente a alguns personagens nomes semelhantes às figuras históricas que os inspiraram, para os espectadores poderem fazer a conexão facilmente. Por exemplo, o comandante do Comando de Segurança de Defesa no filme, chamado Chun Doo-kwang (interpretado por Hwang Jung-min), é inspirado no Chun Doo Hwan da realidade, enquanto o personagem de Roh Tae-woo — o bom amigo e ex-presidente da Coreia que assumiu a presidência depois de Chun de 1988 a 1993 — chama-se Roh Tae-gun (interpretado por Park Hae-il). Jeong Sang-ho (interpretado por Lee Seong-min) segue o modelo de Jeong Seung-hwa, chefe do Estado-Maior.


Mas existem vários personagens cujos nomes não lembram figuras da realidade, como Lee Tae-shin (interpretado por Jung Woo-sung), o comandante do Comando de Segurança da Capital do Exército, que segue o estilo do general Jang da realidade. Taewan; e Oh Guk-sang (interpretado por Kim Eui-sung), o ministro da Defesa Nacional que segue o exemplo do Noh Jae-hyun da realidade. O diretor Kim disse que usou nomes totalmente diferentes para os personagens cujos papéis deveriam ser mais ficcionais.



Lee Tae-shin deveria ser retratado de forma mais heroica, já que ele é o homem que se opõe a Chun Doo-kwang. No filme, Lee é uma das poucas pessoas ansiosas para impedir Chun de realizar sua intenção mais sombria: Chun quer incriminar o general Jeong Sang-ho, chefe do Estado-Maior, para colocá-lo atrás das grades, dizendo que ele estava envolvido no assassinato do ex-presidente Park Chung Hee em outubro daquele ano, para que o próprio Chun pudesse ganhar o poder final.


Lee Tae-shin faz o possível para persuadir outros comandantes-chefes a unir forças para impedir que o novo grupo militante de Chun, conhecido como singunbu, entre em Seul e assuma o Ministério da Defesa Nacional e o Quartel-General do Exército. Quando ele percebe que ninguém irá apoiá-lo, ele corajosamente sai pisando duro até o meio da ponte Haengju em uma cena arrepiante onde quase é atropelado.


12:12 The Day
Uma fotografia de Shingunbu, uma nova facção militar

Mais tarde, ele até reúne cerca de 100 soldados sob seu comando e dirige seus tanques até Gwanghwamun, no centro de Seul, para enfrentar Chun e seus singunbu, que já barricaram a área. No clímax, ele é destituído de seu papel como comandante do Comando de Segurança da Capital do Exército, mas continua a marchar em direção a Chun, escalando as barricadas em uma demonstração de sua forte vontade de deter Chun a todo custo.


É verdade que o general Jeong, que inspirou Lee Tae-shin, não vacilou e lutou contra as forças rebeldes até o último momento. Mas de acordo com seus depoimentos registrados, ele nunca saiu de seu escritório naquela noite e, na verdade, fez todos os pedidos por telefone. O que significa que as cenas em que Lee Tae-shin aparece dramaticamente na ponte Haengju ou quando ele enfrenta Chun em Gwanghwamun nunca aconteceu de verdade.



No filme, os tiros são trocados quando os agentes armados do Comando de Segurança da Defesa que trabalham sob o comando de Chun tentam prender, ou sequestrar, para ser mais exato, Jeong Sang-ho em sua casa na noite de 12 de dezembro.


Do Departamento de Defesa Nacional Oh Guk-sang, que morava ao lado de Jeong, ouve os tiros e foge de casa de pijama para o Quartel-General do Comando das Forças Combinadas Coreia-EUA. O homem, que deveria assumir a liderança durante uma crise nacional, fugir de pijama parece que foi inventado para o filme, mas, na verdade, era realidade.


12:12 The Day
Uma cena do filme "12.12: The Day

Noh Jae-hyun, que era o verdadeiro ministro da Defesa Nacional na época, foi mais tarde descoberto escondido na sede do Ministério da Defesa Nacional, depois de já ter sido esvaziado pelas forças rebeldes. Mais tarde, ele testemunhou na Assembleia Nacional em 1993, dizendo que havia cometido um “ato vergonhoso” naquela noite e que estava “escondido dentro do seu quarto enquanto os rebeldes disparavam tiros”.


12:12 The Day
Os ex-presidentes da Coreia, Roh Tae-woo, à esquerda, e Chun Doo Hwan, são julgados em 1995 sob a acusação de serem os mentores do golpe de estado que os levou ao poder em 1979.

Noh ficar escondido por muitas horas tornou a situação naquela noite ainda mais caótica, enquanto Chun vasculhava diferentes lugares tentando encontrar Noh para levá-lo ao presidente em exercício Choi Kyu-hah para obter permissão oficial para prender Jeong. Noh também testemunhou que de fato ordenou ao comandante do comando de segurança da capital do exército que evitasse um conflito armado e se retirasse, e que deu autorização para prender Jeong, conforme retratado no filme.


Então, o que dizer do vice-chefe do Estado-Maior, chamado Min Seong-bae no filme, que ordena a retirada da brigada aerotransportada que vinha em direção a Seul para contra-atacar os rebeldes, dizendo que Chun concordou em entrar em um acordo de cavalheiros? Ele foi modelado a partir de uma figura da realidade chamada Yoon Seong-min, e está documentado que ele realmente ordenou que as tropas retornassem ao acampamento base.



No filme, há inúmeras cenas de filmagem que fazem parecer que houve muitas vítimas. No entanto, está documentado que apenas três soldados morreram naquela noite, incluindo o major Kim Oh-rang, que foi promovido postumamente a tenente-coronel em 1990. O personagem de Kim no filme é Oh Jin-ho (interpretado por Jung Hae-in).


12:12 The Day
Uma cena do filme "12.12: The Day" [PLUS M ENTERTAINMENT]

No filme, Oh Jin-ho é baleado pelas forças rebeldes enquanto fica para trás com Gong Soo-hyuk, comandante do Comando das Forças Especiais do Exército. Está documentado que quando cerca de 10 forças armadas invadiram para prender o comandante do Comando das Forças Especiais do Exército chamado Jeong Byung-ju, que inspirou Gong Soo-hyuk, apenas um de seus homens ficou para trás com ele, e esse foi Kim. Ele resistiu apenas com uma pistola, mas morreu no local após levar seis tiros. Finalmente, também é verdade que um dos tenentes-coronéis armados que matou Kim era seu amigo íntimo.


  • Assista 12.12: The Day gratuitamente em nosso Fórum clicando AQUI.

  • Leia nossa Resenha sobre 12.12: The Day clicando AQUI.



[FONTES:] Autora original: Yim Seung-Hye (JongAn Daily), traduzido e adaptado por Van Borh (RepaginadaMente Korea).

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page